terça-feira, 21 de agosto de 2018

VOCÊ SOFRE POR ANTECIPAÇÃO?

VOCÊ SOFRE POR ANTECIPAÇÃO?

A palavra "preocupação" quer dizer "prevenção", "ideia fixa e antecipada que perturba o pensamento", "sentimento  de apreensão, inquietação. sensação de medo", "ocupar-se antes do tempo".

A preocupação faz parte do quotidiano e é pertinente quando se refere a fato real, específico. Exemplo: tenho uma prova e devo preparar-me para ela. Aqui cumpre sua função: otimiza o desempenho. Preocupei-me com um fato específico e tomei providências para enfrentá-lo.
Mas, geralmente, nos preocupamos com coisas negativas que provavelmente nunca ocorrerão.
É quando a mente é ocupada pelos "E se..?.", sempre negativos, pessimistas? Quando a pessoa sofre por antecipação diante de um ou mais perigos criados pela própria mente? Quando diante de fatos futuros muitas vezes improváveis e até imaginários ela vive uma eminência de catástrofe?

Medo de doenças, perdas financeiras, perda de relacionamento e tantos outros.  Defendem-se ambicionando uma previsibilidade absoluta que, absolutamente , não existe.Visam controle total de tudo e de todos.Mesmo que supostamente conseguissem continuariam ansiosos...Não conseguem saborear a felicidade. Duvidam dela. Muitas vezes se descrevem como estando à beira de um precipício, uma sensação constante de que as coisas vão dar errado, sejam quais forem. A baixa autoconfiança supervaloriza o perigo das situações e minimiza a capacidade de enfrenta-las.

Mesmo que esse perigo não ocorra e, frequentemente não ocorre, há enorme sofrimento que afeta a qualidade de vida  e o funcionamento geral dessas pessoas, muitas vezes gerando doenças somáticas. O presente não é vivido e o futuro comprometido.  O corpo revela esses conflitos que a mente não consegue resolver.
Casos desse tipo  devem ser tratados com intervenção psicológica, via psicoterapia.

Dr. Marco Antonio De Tommaso
-  Psicólogo e psicoterapeuta pela Universidade de São Paulo
-  Atuou no IPQ HC USP em pesquisa e atendimento
-  Credenciado pela Assoc Bras para Estudo da Obesidade
-  Consultor da Unilever - Dove de 2004 a 2010
-  Articulista da revista Boa Forma “ Divã”
-  Tratamento da ansiedade e da compulsão alimentar
-  Atendimento, também, por SKYPE
-  Assessoria psicológica para modelos e agências
-  Consultor de psicologia do site www.giselebundchen.com.br (em reformulação)

11 - 3887 9738    www.tommaso.psc.br  tommaso@terra.com.br



Rua Bento de Andrade, 121    Jardim Paulista     São Paulo




terça-feira, 15 de maio de 2018

PALESTRA C.A.PAULISTANO

No dia 22/05, próxima terça feira, 17 horas, estarei realizando palestra no Clube Atlético Paulsitano. O tema será "ANSIEDADE NÃO ESCOLHE IDADE".

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

ENGORDAR: SOMATIZAÇÃO DE CONFLITOS?

A obesidade pode ser a linguagem que o corpo usa para denunciar um conflito psicológico. Quando isso ocorre , emagrecer inclui trabalhar psicologicamente o sofrimento psíquico que o peso excessivo visa esconder e que acomete o obeso decorrente de suas limitações físicas, sociais, profissionais, estéticas e outras.

AGENDE SUA CONSULTA!

Dr Marco Tommaso 

11 - 3887 9738

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

BULIMIA: "SÓ DESSA VEZ"

BULIMIA: “SÓ DESSA VEZ”

Anita é uma jovem bonita, magra, preocupada como tantas outras, com sua aparência e, movida pelos ideais de beleza que a mídia propaga, entre aquelas mulheres que “precisam perder ao menos três quilos”.

Muitas vezes reduz sua alimentação visando esse objetivo. Algumas vezes esse semi jejum é seguido por uma comilança indevida, como é esperado nesses casos.

Recentemente, após uma festa, arrependida, confessou a uma amiga que se sentia mal por ter comido e com medo dos efeitos na balança.

Foi aconselhada a provocar o vomito “só dessa vez” e a ideia lhe pareceu ótima... ”Só dessa vez”...
Ocorre que outras situações semelhantes ocorreram e Anita, mais uma vez, recorreu ao vomito, “só dessa vez”... A sequencia foi se cronificando e Anita passou a comer compulsivamente e a vomitar sempre imaginando que fosse a última...

Aí veio o consumo de medicamentos “para emagrecer”. A atividade física, antes saudável, tornou-se compulsiva para “queimar calorias”...

Anita está doente! Tem bulimia nervosa, um perigoso transtorno alimentar com sérias consequências para sua saúde e sua vida.

E tudo começou com um “só dessa vez”...     
                            
CUIDADO! Muitas Anitas começam assim...

                     Dr. Marco Antonio De Tommaso
-  Psicólogo e psicoterapeuta pela Universidade de São Paulo
-  Atuou no IPQ HC USP em pesquisa e atendimento
-  Credenciado pela Assoc Bras para Estudo da Obesidade
-  Consultor da Unilever - Dove de 2004 a 2010
-  Tratamento da ansiedade , compulsão alimentar, emagrecimento.
-  Articulista da revista Boa Forma “ Divã”
-  Assessoria psicológica para modelos e agências
-  Consultor de psicologia do site www.giselebundchen.com.br (Em reformulação)
                                                                     

11 - 3887 9738    www.tommaso.psc.br  tommaso@terra.com.br



Rua Bento de Andrade, 121    Jardim Paulista     São Paulo




segunda-feira, 25 de setembro de 2017

OBESIDADE ASSOCIADA A PROBLEMAS EMOCIONAIS

OBESIDADE ASSOCIADA A PROBLEMAS EMOCIONAIS

Motivo de grandes discussões e polêmicas: existem ou não pessoas que engordam por problemas emocionais? Sou gordo porque sou ansioso ou sou ansioso porque sou gordo?

Na clínica ocorrem os dois casos. A problemática emocional pode facilitar o engordar, pode ser consequência, pode ser o fator que mantém a obesidade.

Pode , ainda, proporcionar ao gordo um “ganho secundário” inconsciente, que , mesmo a revelia da vontade consciente, complica e muitas vezes inviabiliza o emagrecimento.

Vamos a  alguns conceitos genéricos:

  • Quanto maior o excesso de gordura, maior a possibilidade da presença de problemas psicológicos como “causa” ou efeito.
  • Quanto maior a presença de problemas emocionais, maior será a resistência ao tratamento.
  • Quanto maior o peso excessivo, maior a gravidade psicológica.
  • Quanto maior a duração do excesso de peso, maior será a chance da pessoa apresentar problematização a respeito.
Emagrecer não é só fazer mais uma dieta para perder algum peso por algum tempo. O objetivo deve ser EMAGRECER E PERMANECER MAGRA!

Em tais casos, além da abordagem médico nutricional a PSICOTERAPIA é prioritária.



Dr. Marco Antonio De Tommaso
-  Psicólogo e psicoterapeuta pela Universidade de São Paulo
-  Atuou no IPQ HC USP em pesquisa e atendimento
-  Credenciado pela Assoc Bras para Estudo da Obesidade
-  Consultor da Unilever - Dove de 2004 a 2010
-  Tratamento da ansiedade , compulsão alimentar, emagrecimento.
-  Articulista da revista Boa Forma “ Divã”
-  Assessoria psicológica para modelos e agências
-  Consultor de psicologia do site www.giselebundchen.com.br (Em reformulação)
                                                                     

11 - 3887 9738    www.tommaso.psc.br  tommaso@terra.com.br



Rua Bento de Andrade, 121    Jardim Paulista     São Paulo


sexta-feira, 28 de julho de 2017

sexta-feira, 23 de junho de 2017

PSICOLOGIA NO EMAGRECIMENTO

O excesso de gordura é o sintoma mais explícito da obesidade, mas não é a obesidade em sí, em muitos casos. Existem pessoas que escondem, atrás do excesso de peso, problemas psicológicos que precisam ser abordados e trtados, se a pessoa quiser, efetivamente, emagrecer e PERMANECER MAGRA. Nesses casos. emagrecer é muito mais que fazer mais uma dieta para perder algum peso por algum tempo.